top of page

Dica sobre MÁQUINAS DE COSTURA parte 1 – máquinas domésticas

Atualizado: 23 de set. de 2018

A pergunta que mais permeia a cabeça de quem está começando a costurar é sempre a mesma: qual máquina devo comprar?

A primeira resposta que sempre dou às minhas alunas é: o que você pretende costurar? O tipo do tecido escolhido é que vai dizer qual a melhor máquina que se adapta a ele. Existem tecidos planos e malhas, que bem a grosso modo, são tecidos que não esticam e tecidos que esticam.

Existem máquinas domésticas, semi-industriais e industriais. A diferença entre elas está nas funcionalidades de cada uma e na rapidez com que permitem produzir uma peça. Geralmente máquinas industriais são mais restritas, com funções bem específicas para cada tipo de costura e são as mais ligeiras, afinal, em uma indústria é preciso agilidade na produção.

O foco para quem costura em casa são as máquinas domésticas as ou semi-industriais. Vou dar um exemplo das mais comuns para você saber qual melhor te atende:


Máquinas domésticas:

As máquinas domésticas servem muito bem para costurar tecidos planos.Geralmente são portáteis, por serem de material leve e fácil mobilidade.

Das mais simples até as mais sofisticadas, podem ser divididas em:


ANALÓGICAS:


São as que possuem geralmente os melhores preços. Todas as regulagens e painéis com botões giratórios em que manualmente se configura sua máquina para o ponto ou tecido que se está trabalhando. Geralmente tem menos pontos e menos funcionalidades, mas procurando bem, encontra-se analógicas com ótimo preço e todos os requisitos citados acima.


DIGITAIS:

Seu painel é em parte ou todo digital, sendo touch screen em alguns casos. São as máquinas mais caras e que permitem maior variedade de funções como: definir se a agulha terminará a costura sempre no alto ou fincada no tecido ao soltar o pedal acelerador da costura; dar retrocesso e cortar a linha ao terminar a costura; costurar automaticamente sem o pedal; criar padrões de pontos ornamentais personalizados no próprio painel da máquina; criar bordados no computador e transferir para a máquina…e por aí vai.


Ambas podem possuir funcionalidades bastante parecidas, o que as difere é apenas a tecnologia por trás.

Aquela máquina do tempo da vovó, que não possui motor me permite construir uma roupa?

Sim, claro! Porém, ela só faz costura reta e você pode sentir a necessidade de fazer outros pontos com ela, como um zig-zag para chulear alguma peça ou fazer uma casa de botão. Hoje encontramos dessas máquinas novinhas e num preço bem razoável. Outra qualidade dela é a força, ela permite costurar bem tecidos planos mais grossos e variados e em quantidade, sem que o ponto desregule.


Pontos que ao longo do tempo eu identifiquei como facilitadores para a escolha das máquinas que compro:

  • Caseador de um passo: essa função da máquina, seja ela analógica ou digital, permite que eu encaixe uma peça e construa uma casa de botão automaticamente, sem ter trabalho algum. Como gosto muito de peças com abotoamento, sempre escolho máquinas que me facilitem nessa hora. Outras máquinas, principalmente analógicas, vão ter caseadores de 2, 3 ou 4 passos, em que temos que fazer girando o botão as partes do caseado e isso requer um pouco de prática.

  • Pontos ornamentais: a quantidade desses pontos é que vai definir o preço da máquina. Quanto mais pontos, mais cara! Eu uso poucos, mas alguns específicos, como zig-zag de 3 pontos (ponto elástico) para lingerie, ponto de bainha invisível…

  • Enfiador automático de linha na agulha: um grande facilitador para quem tem dificuldade em acertar o bendito buraquinho da agulha.

  • Posicionamento da agulha: sempre procuro máquinas que me permitam variar de maneira fácil e precisa a posição da agulha em relação ao calcador. Máquinas analógicas costumam ter uma alavanca que permitem uma variação grande de posições, já as digitais permitem alterá-la a cada 1 ou 2 mm.

  • Os fornecedores indicam poder costurar malha com elas. É possível? É! Mas, particularmente, não acho a melhor opção.

O básico que é preciso saber sobre as máquinas domésticas está resumido aqui. Detalhes e particularidades vou colocando em outras postagens específicas. Deu dúvida? Não entendeu alguma coisa ou não concorda? Deixa seu comentário ou escreve pra costuramodular@gmail.com que terei o maior prazer em responder!


Até o próximo post sobre máquinas semi-industriais para malhas.


;* Lígia




Σχόλια


bottom of page